Você faz o que da vida? Eu VIVO!! :)

Quando soube que meu pai disse ao meu padrinho: “Eu sei lá o que essa moleca faz!”. Se referindo a que espécie de trabalho eu desenvolvo ou como ocupo meu tempo, minha ficha finalmente caiu! Eu havia conseguido mudar tanto meu próprio paradigma em relação ao trabalho e ocupação quanto refletido isso aos próximos a mim. Consegui me libertar do modelo empresário, empregado, funcionário, recurso humano ou seja lá qual o rótulo alguém quisesse colocar.

Eu simplesmente não tinha uma profissão definida, muito menos um cargo, ou função ou trabalho nos moldes em que a sociedade estava preparada para acolher.

No início, como nem tudo são flores, aquilo me doeu. Confesso que me senti sem identidade. Passar 5 anos cursando Ciências da Computação, mais 2 se pós-graduando em Gestão de Projetos e não satisfeita mais 4 anos em Administração e outras milhares de horas em curso livres, extensão, etc, e ainda assim ser caracterizada como SPD (Sem Profissão Definida), me fez sentir como uma verdadeira vira-lata da área profissional. ¬¬. Não riam, pois doeu! rsrsrs. A boa notícia é que doeu nada além que alguns 60… segundos! 😛

Depois desse longo tempo, senti liberdade. Estava livre de mais um rótulo. Livre das expectativas, olhares e holofotes. Liberta para ser o que eu quisesse ser! Ninguém espera mais nada de mim! \o/ E seja lá o que eu escolhesse: coach, terapeuta, instrutora de yoga, analista de sistemas, empreendedora, administradora, escritora, digitadora, diarista, sei lá! Eu poderia ser qualquer coisa, pois, finalmente me assumi como um SER MULTIPOTENCIAL.

Opa! Mas, segundo os conceitos contemporâneos: multipotencialidade = falta de foco. Como eu nunca liguei muito para o mundo quadrado dos conceitos, regras, doutrinas e etc, dei de ombros. Fod… o.O Que bom! Porque mais tarde, descobri que é muito possível trabalhar várias frentes e ainda sim ter foco. [Isso é conversa para outro post].

Me jogar nesse mundo novo, às vezes com, às vezes sem expectativas, me possibilitou conhecer pessoas, espaços, ideias, mundos com peculiaridades infinitas. E aos poucos, muitas áreas da minha vida foram ao chão, pilar por pilar (feitos de ilusões e crenças) para que eu tivesse a oportunidade e o privilégio de construir uma nova fundação agora muito mais pautada nas minhas verdades, àquelas que eu descobri vivendo e sobrevivendo (né mole não! rsrsrs) e não nas que me foram impostas, com ou sem a melhor das intenções.

E assim, continuarei! Vivendo de tudo um pouco em prol de um único objetivo: ser uma humana melhor e mais útil! Independente de etiquetas, rótulos, definições, pois agora posso ser tudo o que eu quiser nessa e nas minhas próximas vidas!

Quem não se encaixa no mundo está mais perto de encontrar a si mesmo. [Hermamn Hesse]

❤️

Deixe uma resposta